Aliados de Tarcísio avaliam que ampliação das escolas cívico-militares é aceno à base de Bolsonaro

Anúncio pegou de surpresa os membros do governo estadual e uma reunião com o secretário de Educação, Renato Feder, deve ocorrer até o final do mês para determinar os parâmetros da iniciativa

O governador de São PauloTarcísio de Freitas (Republicanos), anunciou que aumentará o programa de escolas cívico-militares no Estado e criará um programa próprio após o Ministério da Educação anunciar o fim do programa nacional. O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quer extinguir o projeto de seu antecessor, Jair Bolsonaro (PL), até o fim do ano letivo. No entanto, de acordo com a apuração da repórter Beatriz Manfredini, da Jovem Pan News, o anúncio da ampliação das escolas cívico-militares em São Paulo pegou de surpresa os membros do governo estadual e aliados. O tema não tinha sido mencionado até então dentro do Palácio dos Bandeirantes e interlocutores ligados ao governador revelaram que o anúncio seria um aceno à parcela do eleitorado mais alinhada ao ex-presidente Bolsonaro, com quem Tarcísio teve atritos na última semana durante as discussões a respeito da reforma tributária. Na tentativa de aprovação de alguns projetos na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), o governador também já teve problemas com deputados alinhados à ala bolsonarista do PL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com