Conheça as oito seleções estreantes na Copa do Mundo feminina 2023

Uma das equipes que fazem sua estreia no Mundial irá enfrentar o Brasil na fase de grupos

A nona edição da Copa do Mundo feminina começa na madrugada desta quinta-feira, 20, com o jogo entre Nova Zelândia e Noruega, em Auckland (NZ). Pela primeira vez o torneio será disputado em dois países (Nova Zelândia e Austrália), e o número de seleções é o maior até hoje: 32. Sendo assim, oito seleções fazem sua estreia em Copas nesta edição: Panamá, Haiti, Portugal, Marrocos, Filipinas, Irlanda, Vietnã e Zâmbia. O Panamá, inclusive, é o adversário do Brasil já na primeira rodada pelo Grupo F. Apesar de estarem em seu primeiro Mundial, algumas das equipes não devem fazer feio na Oceania.

Conheça abaixo as estreantes da Copa do Mundo

Panamá

O Panamá está no Grupo F com Brasil, França e Jamaica e faz sua estreia contra a nossa seleção no próximo dia 24 de julho, às 8h (horário de Brasília), em Adelaide, na Austrália. Treinadas pelo técnico Nacho Quintana, as “canaleras” foram as últimas a garantir vaga no Mundial, na repescagem, contra o Paraguai, vencendo por 1 a 0. Marta Cox é o principal nome da equipe. Aos 25 anos, a meio-campista do Pachuca é a esperança de gols para o Panamá. Outro nome para ficar de olho é a atacante Riley Tanner, de 23 anos. Com Brasil e França favoritas para avançar na chave, o Panamá deve ter uma participação modesta na Copa.

Haiti

“Les Grenadières” estão no Grupo D com Inglaterra, Dinamarca e China. Elas estreiam exatamente contra as maiores favoritas para levantar o troféu: a Inglaterra. Treinadas por Nicolas Delepine, as haitianas surpreenderam e eliminaram Senegal e o Chile nas eliminatórias. A maioria do elenco atua na França, e Melchie Dumornay é a grande estrela do elenco. A meio-campista deixou o Reims para defender o Lyon na próxima temporada, considerada a maior equipe feminina na Europa. A atacante Nerilia Mondesir, do Montpellier, também é um nome de destaque. Modesto, o Haiti deve cair na fase de grupos.

Portugal

Portugal está entre as seleções estreantes mais promissoras. No Grupo E com Estados Unidos, Holanda e Vietnã, a “Seleção das Quinas” tem um elenco forte, cujo ponto principal é a marcação. No início de julho, em preparação para o Mundial, as portuguesas seguraram a Inglaterra em amistoso que terminou sem gols, após se classificarem na repescagem vencendo Camarões por 2 a 1. Para a estreia contra a Holanda no dia 23, às 4h30, o técnico Francisco Neto tem em Jéssica Silva a grande esperança de sucesso. A atacante de 28 anos, do Benfica, é habilidosa e artilheira e pode ajudar Portugal a surpreender.

Marrocos

Uma das estreantes africanas, a seleção de Marrocos caiu no Grupo H com Alemanha, Colômbia e Coreia do Sul. O time treinado por Reynald Pedros conseguiu a vaga inédita ao ser vice da Copa Africana de Nações no ano passado, quando perdeu para a África do Sul na decisão. Tentando repetir o feito da equipe masculina no Catar, as Leoas de Atlas veem na meia Yasmin Mrabet, de 23 anos, uma esperança para o Mundial. No entanto, com Alemanha e Colômbia, as marroquinas devem parar na fase de grupos.

Filipinas

As Filipinas caíram no Grupo A com as anfitriãs Nova Zelândia, Suíça e Noruega. Todas as seleções são mais fortes que a equipe asiática, mas sonhar com uma classificação não é proibido. O time treinado pelo técnico Alen Stajcic estreia contra a Suíça no dia 21, às 2h, e terá uma das jogadoras mais jovens da Copa: Isabella Flanigan, de 18 anos. A atacante é o futuro da equipe e vai atuar ao lado de Sarina Bolden, artilheira que atua em time da Austrália. Deve ser a lanterna da chave.

Irlanda

Após 20 anos, a Irlanda volta a participar de uma Copa do Mundo, sendo a primeira entre mulheres. A equipe comandada por Vera Pauw deve ter no banco de reservas o seu principal nome. A treinadora já trabalhou em diversas seleções europeias, incluindo a Holanda, e tenta completar o conto de fadas na Oceania. A Irlanda caiu no Grupo B com Austrália, Canadá e Nigéria. Os principais destaques do elenco são a meio-campista Denise O’Sullivan e Katie McCabe, que é muito versátil e já atuou como ala, meia, volante e atacante.

Vietnã

O Vietnã caiu no mesmo grupo de Portugal, Holanda e Estados Unidos. Suas chances de avançar de fase são quase nulas. As “Golden Star Warriors” são treinadas pela treinadora Mai Duc Chung e chegam ao Mundial com toda sua base atuando no país – apenas a atacante Huynh Nhu joga fora do país (Portugal). A equipe estreia contra os Estados Unidos no dia 21 e tem grandes chances de protagonizar uma das goleadas do torneio.

Zâmbia

A seleção mais promissora entre as estreantes é Zâmbia. No Grupo C com Costa Rica, Japão e Espanha, a seleção africana tem chances de avançar de fase. Em amistoso contra a Alemanha no início do mês, as “Cooper Queens” mostraram muito futebol e venceram por 3 a 2, surpreendendo a todos. Treinadas por Bruce Mwape, o time tem na atacante Barbra Banda sua maior estrela. Com apenas 23 anos, ela pode ser um dos destaques do Mundial. Apesar de promissora dentro de campo, a seleção passa por problemas fora dele. O jornal “The Guardian” divulgou que o treinador é investigado pela Fifa por “conduta sexual imprópria” após jogadoras revelarem que ele trocava sexo por vagas na equipe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com