Ações da Netflix registram queda mesmo com aumento no número de assinaturas

Mudanças no compartilhamento de senhas e estratégia de publicidade não tiveram o efeito esperado e receita abaixo do esperado frustrou acionistas

Nesta quarta-feira, 19, a Netflix apresentou seus resultados financeiros referentes ao 2º trimestre de 2023. E, apesar dos números positivos, as ações da empresa caíram e os acionistas mostraram receio com o cenário para o resto do ano. Segundo os dados apresentados, a pioneira do streaming teve um lucro de US$ 1,48 bilhão no trimestre, mostrando uma alta de 3% em relação ao trimestre anterior. A base de assinantes, um dos principais pilares de arrecadação da empresa, também registrou um crescimento de 8%, passando de 220 milhões para 238,3 milhões no trimestre. Na América Latina, o total de assinaturas saltou para 42 milhões, com alta de 7,2%. Entretanto, mesmo com os resultados positivos, o mercado não reagiu bem aos números. O colunista do Jornal da Manhã, Bruno Meyer, analisou a situação. “Tem muito investidor que não gostou deste resultado por conta de receita. A receita para o próximo trimestre que a Netflix apresentou ficou abaixo das expectativas de Wall Street, o que sugeriu para o mercado financeiro que o plano de proibir o compartilhamento de senhas e a aquela estratégia de publicidade ainda não entregam o crescimento em vendas e em novas receitas para a empresa”, explicou Meyer.

Após a divulgação dos dados, as ações da empresa chegaram a cair 9%, depois de terem registrado um crescimento de 62% neste ano. A proibição no compartilhamento de senhas foi implantada em mais de 100 países, incluindo o Brasil. Dessa forma, para continuarem compartilhando contas com amigos e familiares, os usuários precisariam pagar um plano mais caro. Além disso, em alguns países, foram implementadas assinaturas para evitar publicidade na plataforma. No entanto, nos Estados Unidos e no Reino Unido, a situação sofreu mudanças nesta quarta. “ Nesta quarta-feira, a Netflix eliminou o plano sem anúncio de preço mais baixo nos Estados Unidos e no Reino Unido, levando os consumidores a um serviço de preço mais baixo com anúncios ou mais caro sem comerciais”, explicou Meyer. Por fim, o colunista afirmou que a Netflix “está cheia de desafios. Mas, um bom resultado que mostrou o novo balanço é que aumenta o número de assinantes”. Em 2022, após anos de crescimento, a Netflix viveu um ano “para ser esquecido”, segundo Meyer.

Confira a coluna completa:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com